Conheça os 3 pilares essenciais para trabalhar no que ama

Você já se pegou perguntando porque está em determinado lugar, fazendo uma determinada atividade em sua carreira? Se sim, temos certeza de que vai se identificar em algumas da situações abaixo. Se ainda não, fica aqui o convite para fazê-lo. Esteja certo de que pode fazer toda a diferença na sua vida.

Scott Dinsmore nos conta em sua palestra How to Find Work You Love  – realizada no TED Talks, o que esta pergunta significou pra ele e que o fez mudar sua trajetória, deixar um trabalho em que não era feliz pra se tornar um empreendedor visionário, disposto a fazer a diferença.

E ele fez. Faleceu em 2015 atingido por uma pedra no monte Kilimanjaro, e apesar desta perda, a plataforma que ele criou focada em auxiliar as pessoas a mudar o mundo fazendo o que ama,Live your Legend, continua viva e trazendo inspiração para milhares de pessoas.

Trabalhar naquilo que ama é para poucos

Muitos de nós ouvimos isso um dia e, talvez, passamos a acreditar em algum momento que isso possa ser verdade. Afinal, antes de qualquer outra questão, temos que cuidar de nossa sobrevivência.

A grande sacada está no fato de que para que você seja realmente bem remunerado precisa colocar paixão naquilo que faz. Empreendendo na carreira ou na própria empresa, caminhar pelo seu propósito já é um grande início.

“Humm, e como fazer isso se não amo o que faço?!” ou ainda: “Mas eu nem sei o que eu amo fazer…”

Os 3 Pilares

O primeiro Pilar: Autoconhecimento

Você realmente se conhece? Quando não sabemos o que realmente nos faz feliz, aquilo que nos faz levantar da cama naquele dia chuvoso e frio, como neste em que escrevo este artigo, e ir pra vida, não estamos trabalhando por nossos sonhos. E podemos acabar sendo remunerados para trabalhar pelo sonho dos outros.

“Se não souber o que procura, não vai conseguir encontrar” – diz Scott.

Temos 2 olhos voltados para o exterior e nos acostumamos a olhar para fora. Que tal voltar seus olhos para dentro e se tornar um especialista em você mesmo? Para se conhecer é necessário entendermos seus pontos fortes, o que te faz ir além. E se empenhar naquilo que é importante pra você, que ama de verdade é primordial.

O segundo Pilar: Valores

Entender quais são nossos valores e em que hierarquia eles se encontram, podem explicar o porquê de cada uma de nossas ações. E mais, de nossas reações.

Tomamos nossas decisões de forma consciente ou inconsciente de acordo com nossos valores. Saber se você e a empresa em que trabalha compartilham dos mesmos valores é essencial para que a saúde, bem estar e prazer em trabalhar estejam preservados. O contrário pode leva-lo a adoecer.

E se você é empresário, a importância de conhecer seus valores também é significativa, pois no momento da contratação de seus colaboradores considerar esta congruência pode trazer maior êxito na escolha destes profissionais e consequentemente maior produtividade e a conquista de um ambiente mais favorável.

E o terceiro Pilar: Experiências

Scott nos ensina a anotar nossas experiências. Escrever sobre elas nos permite organizar, entender o que trouxe de bom, o que nos inspirou, quem nos inspirou. E com esse diário em mãos podemos entender o que sucesso significa para nós.

Uma mesma situação vivida por pessoas diferentes trará experiências e impactos diferentes para cada um. Por isso, cada experiência é única.

“Ninguém pode lhe dizer que você não pode aprender mais sobre si mesmo, que não pode superar seus limites, conhecer o SEU impossível e ir além.” – Scott Dinsmore

Ao entendemos que olhar para o nossas experiências e avaliarmos nosso progresso trazem um grande conforto e motivação, podemos colocar em prática um plano de ação para ultrapassar nossos próprios limites e alcançar pontos jamais imaginados.

A questão é que somos ensinados a olhar o progresso e os limites do outro. E o resultado muitas vezes pode ser frustrante, pois as habilidades que se tem podem estar sendo esquecidas em detrimento de se alcançar algo que nem se tem certeza ser o melhor pra si mesmo.

As cinco pessoas com as quais mais convivo compartilham dos mesmos sonhos que eu?

Segundo Jim Rohn, filósofo americano, somos a média das 5 pessoas com quem mais convivemos. Sabendo disso, torna-se imprescindível olhar para estes 3 Pilares: Autoconhecimento, Valores e Experiências e refletir se estamos caminhando na direção dos nossos sonhos.

Quer saber como o Coaching pode te apoiar nesta jornada? Agende uma sessão experimental e entenda como podemos ajuda-lo.